Posts tagged ‘juventude’

Um Gentleman

É bem verdade que não me agrada escrever de política por certo tempo, mas depois de ler a matéria da Revista Alfa deste mês sobre FHC cuja capa é dele, não poderia me calar. Muito se diz, e eu sou grande defensor desta tese, que ele é o estadista do novo Brasil. Pois bem, vejo que o é não apenas pelos seus grandes atos durante a presidência, mas principalmente pelo que é hoje: um exemplo de político. Por mais que todos e principalmente ele diga que não mais é político, mas apenas um professor ou aposentado, é intrigante como hoje, acima de qualquer tempo, ele se posiciona como um grande político, que defende ideais, não se baseia em estatísticas ou marketing, apenas apresenta a si mesmo, de maneira tranqüila e sincera de modo a mostrar para as pessoas que tem competência e vontade de representá-las, mas explicitando seus pensamentos livremente.

Vejo em FHC algumas das características que vejo como indispensáveis ao exercício da política, e ressalto a coragem, o homem público deve sempre tomar a frente, assumir seus erros e combatê-los, deve ter a coragem de falar verdades inconvenientes aos ouvintes e principalmente a si mesmo.
Assim se faz política, com tranqüilidade, estratégia e coragem. Ao levantar a bandeira da regulamentação das drogas, por exemplo, FHC saiu à frente levando o debate para o seio das famílias, é de fato um medida impopular eleitoralmente falando, mas não é fato que hoje sua popularidade está maior do que nunca? As pessoas precisam de informação, e um ponto de vista confiável e sincero lhes traz satisfação. Os políticos precisam disto, lembrar que o PSDB é vanguarda, e portanto, deve sair à frente erguer a bandeira do debate sobre as drogas que já está na sociedade civil, debater internamente o casamento homossexual e apresentar nossa visão à sociedade.

Devemos continuar modernizando o país, mesmo seno oposição, e em menor numero, qualitativamente vencemos. FHC nos ensina a ser oposição sem histeria, oposição madura e elegante. O mestre tem muito a nos ensinar e espero que cada vez, todos sigam seus passos.

 

Anúncios

A Importância do Parlamento Jovem

Nas andanças que faço e nas redes que convivo, tenho percebido por parte de todos um grande apoio e confiança em minha participação no VIII Parlamento Jovem Brasileiro. Meus companheiros de partido têm sido extremamente solícitos, assim como alguns amigos da imprensa e mesmo moradores de meu bairro. A conquista, hoje eu vejo que não apenas é minha, mas sim do grupo, do grupo comunitário, do grupo de juventude, do grupo tucano do grupo inclusive suprapartidário de amigos crentes e defensores de um Brasil mais forte e rico em cultura, educação e política.

Vejo no PJ a oportunidade, e desta não abrirei mão, de não apenas me firmar como liderança jovem, mas principalmente incentivar os outros participantes a seguirem na luta política, seja no partido que for ou mesmo fora de partidos.

O PJB é simples, mas muito inteligente e indispensável  para a formação de novas lideranças jovens, que devem se aliar a políticos locais, e lutar, para mesmo que em âmbito municipal fazem seus projetos realidade. E ainda, seguir o exemplo do deputado federal jovem Vinicius Caruso (7ª edição) e dar palestras em escolas sobre a importância do protagonismo jovem na política.

O jovem é protagonista de todas as grandes manifestações e mudanças de nossa sociedade, como agora o fazem no Chile, num grito desesperado por educação. Este processo ocorre no Chile, pois é este o pais mais politizado da America Latina o que nos explica e nos faz apoiar os manifestantes, que estão conscientes de seus direitos e não dispensam exercê-los. Outros setores da sociedade poderiam e devem se revoltar, mas apenas no jovem existe a garra capaz de forçar um impeachment como houve no Brasil, e isto só é possível pois houve lideres jovens que incitarem as multidões.

Há nisto certo sistema de pirâmide, mas este muito saudável, a liderança jovem incita a multidão, que ao longo do processo e mesmo do cotidiano revela ter outras lideranças jovens no corpo desta massa que trarão ainda mais massa a esta luta, e nesta massa surgirão ainda mais lideres; o ciclo é grande e indispensável à construção de um sociedade politizada e ciente da importância de cada individuo no futuro da pátria.

Um amigo diz que “liderar é servir”, não tenho pretensão e nem o poderia de me colocar como líder, mas me coloco a serviço da pátria e daqueles que por ela lutam.

 

Fogo de Ideias

 

Vejo nas juventudes partidárias a essência dos partidos políticos, é aceitável e comum que conforme passa o tempo a chama ideológica se apague. Mas ela se mantém acesa no vigor do jovem, das novas lideranças que se formam, e que exatamente por a cada dia reafirmarem lugares de destaque em seus partidos tem por obrigação procurar as falhas e o cansaço no partido ao qual pertencem e num incansável processo interno não baixar a cabeça, mas sim peitar caciques que erram inconscientemente exatamente por faltar a tão repetida inconseqüência política dos jovens.

Está nas juventudes partidárias o maior acerto, o de ter como norte a ideologia,  Dr. Geraldo disse: “Não há religião sem fé, como não há partido sem ideologia”, e disse bem,  partido é vivo enquanto seus ideais vivem, não a toa partidos comunistas mesmo sem sistema e sem condições de chegar ao poder seguem vivos.

Hoje, compondo a JPSDB/SP enquanto conselheiro vejo algo simplesmente sensacional acontecer, o trabalho que viemos realizando junto de nosso líder Paulo Mathias entra em destaque e causa choque no partido pela competência e paixão.

O que fazemos nada mais é que amar o partido, seus ideais e sua historia, naturalmente, sem falsa crença de perfeição.  Agir desta maneira não apenas esta enriquecendo a militância, mas sensibilizando caciques, que não se colocam mais a nós como tal, mas sim como partidários que temos sempre a nosso lado.

O grupo tem evoluído e se mostra exemplo exatamente por isso, agir com dignidade em prol não apenas de seguir o estatuto, mas de amar o PROGRAMA partidário.

Com as juventudes, me lembro de Vinicius: “Que não seja infinito, posto que é chama/ Mas que seja imortal enquanto dure.”

Hoje a maioria dos partidos são apenas velas, onde há pouca chama, e uma base inerte que breve se esvai apagando a pouca chama.   Mas nas juventudes, está a chama pura, a força inabalável, são parte indispensável a qualquer partido, e o partido que a respeita sai na frente, pois faz interagir a experiência e a vanguarda, garantindo que o hoje não fique ultrapassado e que o amanhã não seja incerto