esta terra onde reina o desatino
reina o sol no imenso da paisagem
reina o gosto fatal desta viajem
reina as marcas estranhas do destino
reina o medo e o sonho do menino
reina a paz na preguiça e a magia
reina o doce mandato da alegria
junto as cores felizes da bandeira
reina o gênio da raça brasileira
seu encontro marcado com o divino

ai ai ai
ui ui ui
ai ai ai
ui ui ui

por aqui foi a muito anunciado
nossas vidas teriam mais amores
sem baraços, carrascos dos senhores
no tempo brevimente alcançado
fasticínio permanente adiado
ao futuro de quem somos cativos
prisioneiros dos mortos e dos vivos
vejo os bons velhos tempos sem memória
vê seguindo essa sombra vã da história
sem razão, sem distino e sem motivo

ai ai ai
ui ui ui
ai ai ai
ui ui ui

ao cantar nessa língua inculta e bela
sem vergonha o orgulho se alevanta
sempre um só sentimento na garganta
doce pranto feliz de uma novela
e as meninas disputam da janela
flôr e alva contente bem brejeira
a esbôrnia da gente brasileira
sem tudo, sem pecado sem lembramça
sob o lindo pendão da esperança
que abençoa e proteje a terra inteira

ai ai ai
ui ui ui
ai ai ai
ui ui ui

Anúncios